Propaganda Superior

quarta-feira, 22 de maio de 2019

Deputado se oferece para falar com Bolsonaro: 'Com doido, só outro doido'

Durante sessão na Câmara dos Deputados, Pastor Sargento Isidório (Avante/BA) criticou o decreto de armas e se ofereceu para debater o tema com o presidente
Durante sessão no Plenário da Câmara dos Deputados, de terça-feira, o deputado federal Pastor Sargento Isidório (Avante/BA) criticou o que chamou de "desajustes que estão acontecendo nesta nação", referindo-se ao decreto de armas assinado pelo presidente da República, Jair Bolsonaro.

O parlamentar sugeriu, então, uma interlocução de uma comissão da Casa ou de um deputado para conversar com o chefe do Palácio do Planalto "em busca da paz". "E pelo perfil dele (Bolsonaro), me sinto preparado pra ir, se for necessário, porque venho da Bahia, sou conhecido como doido e, pra conversar com doido, só outro doido", disse. A fala de Isidório foi interrompida pelas risadas dos deputados presentes na sessão. 

Mudanças

Após muitas críticas de segmentos da sociedade, o presidente publicou, nesta quarta-feira (22/5), várias retificações no chamado Decreto de Armas. Mais de 20 pontos do decreto original foram modificados.

Assista abaixo:

Senador Roberto Rocha conduzirá o Grupo Parlamentar Brasil-China

Senador quer buscar novos negócios e oportunidades nesta relação bilateral para que o Maranhão também seja beneficiado
Senadores instalaram nesta terça-feira (21), o Grupo Parlamentar Brasil-China. Composto por 37 parlamentares, o objetivo é incentivar e desenvolver as relações bilaterais entre os legislativos dos dois países. Na primeira reunião, o líder do PSDB, senador Roberto Rocha (MA) foi eleito presidente. Ele destacou a parceria comercial e estratégica entre as nações. “Temos grande interesse em conhecer melhor os conhecimentos chineses na área de energia renovável e fortalecer o nosso comércio de produtos agrícolas e minerais”, disse.

A China é o maior parceiro comercial do Brasil desde 2009. No ano o passado, o Brasil exportou US$ 64,2 bilhões em produtos como a soja, o petróleo e o minério de ferro. “Em boa hora estamos buscando com esse gigante asiático estreitar ainda mais os laços de confiança e de parceria estratégicas, especialmente para o Nordeste e o Maranhão”, afirmou Roberto Rocha.

Representando a embaixada da China, a conselheira para assuntos parlamentares, Qiao Yanfeg, frisou que Brasil e China possuem grande amizade. “Esse intercâmbio parlamentar é muito importante nas relações entre os dois países, especialmente, na melhoria dos negócios que fortalecem os laços entre nossos povos”, frisou.

O Grupo Parlamentar Brasil-China foi criado em 2004 e a cada legislatura precisa ser reativado. Nesta, além do senador Roberto Rocha na presidência, o senador Antônio Anastasia (PSDB-MG) foi eleito o vice-presidente, seguido pelo senador Eduardo Gomes (PMDB-TO) como segundo vice-presidente.

terça-feira, 21 de maio de 2019

Não adianta mudar o comandante de Timon se a Polícia Militar não tem estrutura, diz vereador

Vereador Henrique Júnior denunciou na tribuna da Câmara de Timon que a Polícia Militar está precisando é de estrutura e não mudança no Comando 
Oficialmente ainda não se tem uma explicação sobre a mudança no Comando do 11º Batalhão da Polícia Militar de Timon, que até então tinha à frente o tenente-coronel Schnneyder, e esse assunto foi bastante abordado na sessão desta segunda-feira (22) na Câmara de Vereadores.

O líder da oposição, vereador Henrique Júnior foi um dos que abordaram sobre essa mudança inesperada no Batalhão da PM de Timon. "Não adianta mudar o comandante da PM de Timon se não vier estrutura para cá... Governador Flávio Dino não adianta mudar de comandante se não mudar sua atitude. Deputado Rafael Leitoa vossa excelência tem o dever de cobrar do governador, caso contrário de nada adiantou o mandato que você ganhou do povo de Timon", disparou o parlamentar.

"De 2015 para cá o governo do estado só mandou duas motos para a Polícia Militar de Timon. Vocês sabiam que as motos da Rocam estão em péssimas condições? Inclusive tem moto que já teve o chassi soldado mais de três vezes colocando Inclusive a vida do policial em risco", lamentou o vereador o líder da oposição.

Sobre os recursos financeiros enviados pelo governo Flávio Dino para a Polícia Militar de Timon o vereador disse, "O 11° Batalhão recebe ainda o mesmo repasse de quando ainda era Companhia Independente, o mesmo valor há mais de 10 anos. Na maioria dos casos são os prefeitos da região que disponibilizam o combustível para as viaturas e pagam aluguel dos quartéis".

O vereador Henrique Júnior denunciou ainda que, "As viaturas estão praticamente paradas, são obrigadas a fazer a parada básica. Sabe o que é parada básica? É ficar parado por não ter combustível. A Força Tática só sai do quartel para fazer blitz, sabe por que? Por que não tem combustível e a suspensão desses veículos estão em péssimas condições. Essas viaturas não conseguem colocar nem 60 Km/h, como é que vai perseguir alguém?".

Assembleia Legislativa do Maranhão quer esclarecimentos do DNIT sobre malha asfáltica de BRs

Plenário aprova requerimento convidando diretor do DNIT a prestar esclarecimentos sobre malha asfáltica de BRs
Por unanimidade, o plenário da Assembleia Legislativa aprovou, na sessão desta segunda-feira (20), requerimento de autoria do deputado Vinícius Louro (PR), para que, por meio da Comissão de Obras e Serviços Públicos, seja convidado o diretor regional do Departamento Nacional de Infraestrutura e Transportes (DNIT), Gerardo de Freitas Fernandes, para prestar esclarecimentos sobre a malha asfáltica das BRs 135 e 316.

“Temos vários temas envolvendo o DNIT aqui na Assembleia Legislativa. De 2014 até agora, por exemplo, percebe-se que, nas principais rodovias federais, como a BR-135., principalmente no  trecho entre Alegre e São Luis, só foram feitas operações tapa-buracos.  O serviço de recuperação da malha viária entre Santa Inês e Bacabal foi concluído ano passado e já está intrafegável. Então, ele vai ter que dar essas e outras explicações”, afirmou o parlamentar.

De acordo com Vinícius Louro, a Assembleia está buscando saber qual o montante dos recursos destinados à manutenção e recuperação da malha viária federal nos últimos anos no Maranhão. Ele acredita que o dirigente do referido órgão deverá munir os parlamentares com explicações convincentes.

“O DNIT deve ter condições de fiscalizar as obras executadas nas estradas federais maranhenses. Mas parece que não fiscaliza, uma vez que a situação das rodovias é péssima. Esperamos que o senhor Gerardo Fernandes atenda a nossa solicitação e venha com as explicações que estamos esperando”, afirmou.

O requerimento de Vinícius Louro  foi subscrito ainda pelos deputados Leonardo Sá (PR), Rigo Teles (PV), Zé Inácio (PT) e Adelmo Soares (PC do B). As condições inadequadas das rodovias federais maranhenses estão sendo constantemente discutidas em plenário.

O enigmático caso da “Bancada do Brinquedo” revelado pelo vereador Dr. Tuá

O caso da “Bancada do Brinquedo” revelado pelo vereador timonense despertou a curiosidade de muitos 
Na sessão desta segunda-feira (20) o vereador Dr. Tuá trouxe um assunto na tribuna da Câmara de Timon que despertou a curiosidade de quem lhe assistia naquela momento, o caso é sobre uma tal “Bancada do Brinquedo”. "Ando muito em Timon e neste último final de semana andei mais ainda aí um cidadão me abordou perguntando seu eu me dou com o [vereador] Juarez, respondi que sim! E o cidadão comentou sobre a reclamação do vereador Juarez de que não votaram o requerimento dele do Marcelo Almeida, aí eu perguntei se tá irregular. Doutor será se a 'Bancada do Brinquedo' não deixa votar esse negócio? Como é que é rapaz? 'Bancada do Brinquedo'?", disse o vereador Dr. Tuá. 

"Senhor presidente [vereador Helber Guimarães], dê uma resposta a população timonense. Se está irregular tem que ir para a votação, seja o que for, está irregular? Tem que se juntar aos que estão irregulares, isso é uma coisa habitual", frisou Dr. Tuá. 

Prefeito de Paço do Lumiar é acionado por irregularidades em licitação

Além do prefeito Domingos Dutra, a Ação Civil Pública cita outras 10 pessoas
A 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar ingressou, em 14 de maio, com uma Ação Civil Pública por ato de improbidade administrativa contra o prefeito Domingos Dutra, secretários e ex-secretários municipais, servidores da administração municipal e uma empresa envolvida em contratos firmados com o Município após um processo licitatório considerado ilegal.

Figuram na ação a ex-secretária municipal de Administração e Finanças, Neusilene Núbia Feitosa Dutra; o ex-secretário municipal de Educação, Fábio Rondon Pereira Campos; o titular da pasta de Desenvolvimento Social, Nauber Braga Meneses; e os ex-secretários municipais de Saúde, Raimundo Nonato Martins Cutrim e Sílvia Maria Costa Amorim

Também foram acionados os servidores Leciana da Conceição Figueirêdo Pinto, Ana Cláudia Passos de Sousa Belfort e Marcus Vinícius Pereira Bastos, além da empresa L & V Comercial Ltda. e o empresário Francisco Eduardo Noronha Lobato.

Ao analisar o processo licitatório do pregão presencial n° 010/2017, o Ministério Público do Maranhão apontou uma série de irregularidades. O pregão, que tinha como objeto a contratação de empresa para fornecimento de pneus, câmaras de ar e protetores levou à assinatura de três contratos com as secretarias municipais de Educação (R$ 186,6 mil), de Desenvolvimento Social (R$ 60.824,00) e de Saúde (R$ 157.644,00).

Entre os problemas apontados pela Assessoria Técnica da Procuradoria Geral de Justiça está a falta de estudo técnico com os quantitativos a serem adquiridos pelas secretarias e a periodicidade do atendimento. O termo de referência utilizado não traz informações como o quantitativo de veículos, a especificação de seus portes ou a previsão de rodagem de cada um. Há referência apenas a respeito da quantidade de pneus, câmaras de ar e protetores para máquinas pesadas.

Curiosamente, consta do processo um memorando da Secretaria Municipal de Agricultura, Pesca e Abastecimento com as indicações de quantitativos necessários, mas a pasta não assinou contrato para o fornecimento dos produtos.

Também foi verificado que foram emitidos dois editais com a mesma numeração 010/2017, assinados por pregoeiros distintos. O primeiro, de 2 de janeiro, foi assinado por Márcio Gheysan da Silva Sousa. O segundo, assinado por Leciana da Conceição Figueiredo Pinto, é datado de 13 de março de 2017, revogando a primeira portaria. No entanto, nenhum dos dois agentes tinham competência para assinar editais.

Há problemas, ainda, com a publicidade do certame. Não consta do processo a publicação de cópias do edital e do seu aviso no endereço eletrônico da Prefeitura de Paço do Lumiar ou do Tribunal de Contas da União (TCU). Além disso, a íntegra do processo licitatório e os comprovantes de pagamento deveriam estar publicados na internet, de acordo com a Lei de Acesso à Informação (12.527/2011).

Também foi questionada a escolha da modalidade pregão presencial para a realização da licitação sem qualquer justificativa. De acordo com o TCU, é obrigatória a adoção de pregão eletrônico pela administração pública, salvo por absoluta impossibilidade.

ASSINATURAS

O Termo de Adjudicação do procedimento contém o nome da pregoeira Leciana Pinto, mas não está assinado, “de modo que não é possível atestar sua autenticidade”, observa, na ação, a promotora de justiça Gabriela Brandão da Costa Tavernard.

Além disso, o processo licitatório é encerrado com um parecer emitido pelo então Controlador Geral do Município, em 20 de junho de 2017. Não consta, no entanto, parecer jurídico conclusivo sobre a licitação. Nos contratos não constaram as indicações de representantes da administração para acompanhar e fiscalizar a sua execução.

Questões relativas a assinaturas também reforçam os indícios de que o processo licitatório foi montado. O nome de Sâmila Emanuelle Diniz Siqueira, que exerceu o cargo comissionado de coordenadora na Secretaria Municipal de Planejamento e Articulação, por exemplo, consta no Termo de Referência e em outros despachos do processo administrativo. A assinatura disposta, no entanto, é de Ana Cláudia Sousa Belfort.

Ouvida pelo MPMA, Sâmila Siqueira afirmou ter trabalhado na Prefeitura de Paço do Lumiar até março de 2017, quando pediu exoneração e mudou-se para o estado do Ceará. Posteriormente, ela teria recebido mensagens de Núbia Dutra para que comparecesse à Secretaria e assinasse documentos que seriam entregues à Promotoria de Justiça. A ex-servidora negou-se a assinar os documentos, mesmo diante da pressão da ex-secretária e da proposta para que a documentação fosse encaminhada por e-mail.

Sâmila Siqueira negou ter elaborado o termo de referência que embasou o pregão presencial n° 010/2017 e os outros documentos existentes no processo de licitação em que consta o seu nome, com exceção de um, o qual ela afirma ter assinado sem saber exatamente do que se tratava. De acordo com a ex-servidora, ela era praticamente coagida a assinar documentos, sob pena de exoneração.

Ana Cláudia Belfort afirmou à 1ª Promotoria de Justiça de Paço do Lumiar que trabalhou na Secretaria Municipal de Administração, elaborando folha de pagamentos e preparando portarias de nomeação e exoneração de servidores, nunca tendo trabalhado na Comissão Permanente de Licitação (CPL), não ter conhecimento sobre licitação e nem ter elaborado termos de referência.

De acordo com a servidora, com a saída de Sâmila Siqueira da administração municipal, Núbia Dutra teria lhe passado alguns documentos para serem assinados, garantindo que estava tudo certo com eles. Ana Cláudia Belfort também afirmou que os servidores não podiam negar o cumprimento de ordens da então secretária, sob pena de exoneração.

Quanto ao termo de referência questionado, Ana Cláudia Belfort confirmou que a assinatura é sua, mas negou que tenha elaborado o documento. Ela afirma ter assinado o documento com data retroativa e que não teve acesso ao conteúdo pois lhe foi entregue apenas a última página. As rubricas existentes no restante do termo de referência, de acordo com a servidora, não são suas.

Ana Cláudia Belfort explicou, ainda, que vários dos documentos têm datas do período em que Sâmila Siqueira ainda era servidora do Município de Paço do Lumiar. Se esses documentos tivessem sido elaborados de fato nas datas consignadas, não haveria nenhum impedimento para que Sâmila Siqueira os assinasse.

Sobre a portaria n° 65/2017, assinada pelo prefeito Domingos Dutra, que a designava como substituta de Sâmila Siqueira, Ana Cláudia Belfort afirmou que o documento foi fabricado posteriormente. As duas ex-servidoras apresentaram cópias da portaria n° 65/2017 original, na qual não consta tal designação.

Os documentos de solicitação de cotações de preços, datados de 17 de janeiro de 2017, também têm problemas com assinaturas. Embora conste o nome de Simone da Silva Melo, são assinados pelo servidor Marcus Vinícius Pereira Bastos, ocupante do cargo comissionado de encarregado de patrimônio.

Questionado pelo Ministério Público, Marcus Vinícius Bastos negou ter trabalhado na CPL ou na elaboração de termos de referência e outros documentos relacionados à licitação. O servidor afirmou acreditar ter assinado os documentos depois da saída de Simone Melo da Prefeitura, mesmo sem a conhecer ou sequer saber o setor em que ela trabalhava.

RAPIDEZ

Chama a atenção, também, a celeridade de todo o processo. O memorando da secretária de Planejamento aos secretários sobre o quantitativo de pneus, câmaras e protetores necessários é datado de 6 de janeiro de 2017 e foi respondido por todos os secretários em 9 de janeiro, mesma data em que o processo foi autuado e foi solicitada a elaboração do termo de referência. O documento teria sido elaborado no mesmo dia.

Em 17 de janeiro foram feitas as solicitações das cotações às empresas, apresentadas por todas no dia 20, com exceção da vencedora da licitação, que apresentou seus preços um dia antes. Também em 20 de janeiro as propostas foram encaminhadas à Secretaria de Planejamento. Três dias depois foi solicitada a dotação orçamentária, apresentada no mesmo dia.

Em 24 de janeiro o processo foi remetido à CPL e, na mesma data, encaminhado à Procuradoria Geral do Município, que elaborou seu parecer ainda no dia 24. Ainda na mesma data foi solicitada a abertura do processo licitatório, autorizada no dia seguinte por Núbia Dutra.

Após adiamentos, a sessão do pregão foi realizada em 4 de abril, foi adjudicado no dia seguinte e homologado em 6 de abril, sem parecer jurídico.

“As inconsistências do termo de referência, aliada à falta de parâmetros que justifiquem o quantitativo contratado e a necessidade do contratante, bem assim a fraude operada no processo licitatório, a partir da fabricação de documentos essenciais extemporaneamente, indicam direcionamento e favorecimento da empresa licitante sagrada vencedora”, analisa Gabriela Tavernard.

PEDIDOS

Na Ação, o Ministério Público do Maranhão requereu a condenação de Domingos Dutra, Neusilene Núbia Feitosa Dutra, Fábio Rondon Pereira Campos, Nauber Braga Meneses, Raimundo Nonato Martins Cutrim, Sílvia Maria Costa Amorim, Leciana da Conceição Figueirêdo Pinto, Ana Cláudia, Marcus Vinícius Pereira Bastos, Francisco Eduardo Noronha Lobato e da empresa L & V Comercial Ltda. por improbidade administrativa.

Entre as penalidades previstas estão o ressarcimento integral do dano, perda dos bens ou valores acrescidos ilicitamente ao patrimônio, perda da função pública, suspensão dos direitos políticos de cinco a oito anos, pagamento de multa de até duas vezes o valor do dano e proibição de contratar ou receber benefícios ou incentivos fiscais do Poder Público, pelo prazo de cinco anos. As informações são do MPMA.

Caxias: “Hoje não posso mais sair fardado de Repórter Puliça”

O vereador Repórter Puliça (PRB) fez uso do pequeno expediente, na sessão dessa segunda-feira (20), para anunciar que a caracterização do personagem que o fez chegar à Câmara Municipal passará por mudança.

Antes do anúncio, o vereador lembrou a sua trajetória política e a recente repercussão de suas reportagens a nível nacional, até mesmo na Argentina.

A decisão partiu de um mandado de prisão em desfavor do parlamentar. “Sexta-feira soube que tem um mandado de prisão para mim, está no quartel. Inclusive fui avisado antes que se eu continuasse com a minha farda seria preso, só que não imaginei que fosse realmente acontecer. Hoje não posso mais sair fardado de Repórter Puliça”, disse.

Ainda segundo Repórter Puliça, se trata de perseguição política, onde dois políticos estariam envolvidos. “Eles tiraram a farda, mas não tiraram a minha língua. E meu trabalho vai continuar doa a quem doer. Já estou preparando outra farda, exclusiva”, declarou.

“Use agora a farda do Exército! Sugiro até que coloque da Aeronáutica, que a farda é mais pomposa, mais bonita”, propôs o presidente da Câmara, vereador Catulé (PRB).

Magno Magalhães (PSD) se solidarizou com a fala do colega de parlamento. “Isso só demonstra que, apesar da liberdade de expressão que temos no Brasil, certamente se trata de inveja com a projeção que o trouxe a Casa do Povo. É lamentável, mas com certeza isso não vai tirar o brilho da sua atuação como apresentador e muito menos enquanto representante dessa Casa”, comentou o vereador. As informações são da Câmara de Caxias.

segunda-feira, 20 de maio de 2019

Vereador Anderson Pêgo sobre Jaconias apoiar Alexandre Almeida: “Que venha para somar"

Anderson Pêgo disse que aceita Jaconias Morais apoiando o ex-deputado Alexandre Almeida
Anderson sobre Jaconias: "Que venha para somar"
Em entrevista concedida ao radialista Eliézio Silva na manhã desta segunda-feira (20) o vereador Anderson Pêgo reafirmou mais uma vez que o ex-vereador Jaconias Morais esteve reunido com Senador Roberto Rocha e um de seus assessores e neste encontro teria dito que se o ex-deputado Alexandre Almeida for candidato a prefeito de Timon o apoia.

"O senador Roberto Rocha recebeu o Jaconias Morais que demonstrou interesse em se filiar no partido [PSDB] e disse que se o ex-deputado Alexandre Almeida for candidato a prefeito ele apóia... Ele fez essa revelação lá e o Almir nos falou", afirmou o vereador Anderson Anderson Pêgo.

Confira a íntegra da entrevista abaixo:

Câmara de Timon: destaques da sessão plenária desta segunda-feira

A sessão dessa segunda-feira, 20, na Câmara Municipal de Timon foi marcada pela aprovação de três novos projetos de Lei, de autoria dos vereadores Henrique Júnior e Raimundo da Ração. Além disso, por conta da reunião entre os vereadores com o promotor de justiça Giovanni Papini e com o juiz Weliton Sousa na última quarta-feira, 16, o que fez com que a sessão fosse encerrada mais cedo, a ordem do dia na sessão de hoje estava repleta de requerimentos, indicações e pedidos de providências.

No expediente do dia, os parlamentares discutiram sobre a situação de projeto de Lei 024/2019, de autoria do Poder Executivo Municipal, que institui o Programa de Pagamento Incentivado (PPI). Os parlamentares de situação defendiam que o projeto fosse votado em regime de urgência, porém os parlamentares de oposição defenderam que o projeto percorresse o rito normal, para ser discutido nas comissões e para que possa receber emendas de parlamentares. Ao ser colocado em votação, o regime de urgência foi reprovado, então o projeto segue para as comissões e retorna posteriormente para discussão e votação em plenário.

A vereadora Socorro Waquim destacou a importância do projeto de lei, mas afirmou que pretende apresentar uma emenda, por isso defendeu que o mesmo não fosse votado em regime de urgência. “Vai ser bom para o governo, voto a favor do PPI, mas quero ter a oportunidade de apresentar emendas. É uma necessidade de uma cidade como Timon, ter uma arrecadação melhor”, destacou.

Na ordem do dia, os parlamentares aprovaram, em 2ª votação, o projeto de lei do vereador Henrique Júnior que institui a necessidade da impressão em Braille das contas dos serviços de fornecimento de telefone, energia elétrica e água, para as pessoas com deficiência visual. Em 2ª votação, foram também aprovados dois projetos de lei do vereador Raimundo da Ração. O primeiro regulamenta a contratação de empresas para prestação de serviços de terceirização de mão-de-obra no âmbito da administração municipal. E o segundo regulamenta as ações de Controle Externo, exercido pelo Poder Legislativo, no âmbito do Poder Executivo de Timon.

Foram votados ainda a concessão de títulos de cidadania timonense para o senador piauiense Marcelo Costa e Castro, de autoria da vereadora Socorro Waquim, e para o senhor Luiz Cláudio Lima Macedo, de autoria do vereador Tuá. O vereador Tuá apresentou ainda o pedido de apresentação de voto de louvor ao 11º Batalhão da Polícia Militar, na pessoa do comandante Tenente Coronel Hormann Schnneyder Almeida Silva, pelos seus feitos profissionais ao município de Timon, e ao Drº Antônio Gilberto Albuquerque Brito, pelos seus serviços profissionais e administrativos.

A vereadora Socorro Waquim apresentou requerimento para discutir a “Carta Compromisso”, formulada pelos discípulos, missionários, leigos, bispos, presbíteros, diáconos, religiosos, seminaristas da zona rural VI das Paróquias São José, Santo Antônio, São Francisco e Menino Jesus, bem como missionários de outras cidades e dioceses. A parlamentar ainda apresentou indicação ao Poder Executivo Municipal, a proposta do Projeto de Lei que veda a nomeação para cargos em comissão de pessoas que tenham sido condenadas pela Lei Federal Nº 11.340 (Lei Maria da Penha), no âmbito do município de Timon.

Socorro Waquim apresentou também pedidos de providências para que a prefeitura municipal execute a pavimentação poliédrica ou asfáltica nas ruas três, cinco e nove, do Bairro Cidade Nova III, assim como a recuperação da iluminação pública no mesmo bairro. Solicitou ainda a capina na Vila Monteiro, a construção de paradas de ônibus desde o campo do Totó até a PNEUBAT, no Bairro Cidade Nova I, a conclusão do calçamento que liga as ruas G e H, da Vila Bandeirantes e a capina na rua 02, próximo à avenida Parnarama, na Vila Monteiro.

O vereador Coca do Matapasto apresentou pedidos de providências para que o poder executivo municipal, por meio da secretaria de Limpeza, faça a destinação de funcionários para que realizem a limpeza das duas praças do Conjunto Habitacional Cidade Nova III, além dos serviços de roço e limpeza pública das ruas do conjunto Rosa, do Bairro Cidade Nova III, bem como a frente da Associação dos Moradores da referida comunidade e da Rua das Palmeiras, no Povoado Piranhas. Solicitou ainda a recuperação das estradas vicinais e intermediárias do Povoado São Gonçalo; reparos na estrada vicinal, conhecida como rua de dentro, do Povoado Laranjeiras; reparos na estrada que liga a sede do município do Povoado Matapasto e a recuperação das estradas vicinais do Povoado Piranhas nas ruas Palmeiras, Mulungu, Pinha “Alto Bonito”, Beco 10 e 11, próximo à área férrea, Travessa 1 e rua da Areia.

Já o vereador Adão Tavares apresentou pedido de providências ao Poder Executivo Municipal , por meio da secretaria municipal de Obras e Infraestrutura, para que sejam recuperadas: a estrada que liga o Povoado Perdidos ao Monteiro; a estrada que liga o Sucuruju à Canoa; a estrada que liga o Povoado Canoa à Santa Maria Teresa; a estrada que liga o Portal da Amazônia ao Povoado Bambu e a estrada da comunidade Bom Viver, próximo ao povoado Sangrador. A vereadora Socorro Waquim solicitou ao vereador Adão Tavares acrescentasse aos seus pedidos que fosse acrescentado o pedido para que seja recuperada a estrada do povoado Encarnadinho. As informações são da Câmara de Timon.

Neto Evangelista X Duarte Jr: Desentendimentos na base de Flávio Dino

Briga por autoria de projeto gera polêmicas entre deputados da base do governo Flávio Dino
Neto Evangelista X Duarte Jr
O clima ficou tenso numa rede social entre os deputados estaduais Neto Evangelista e Duarte Júnior sobre autoria de projetos. E essa não é a primeira polêmica envolvendo parlamentares maranhenses sobre a partenidade de alguns projetos.

“Crianças estão sofrendo na zona rural empurrando ônibus”, denuncia vereador de Timon

Vereador Anderson Pêgo faz grave denúncia sobre o transporte escolar de Timon
Na sessão desta segunda-feira (20), o vereador Anderson Pêgo durante discurso fez uma denúncia preocupante. "Infelizmente todos os dias chega denúncias novas contra a administração do prefeito Luciano Leitoa. É o transporte escolar, falta de merenda nas escolas, são as estradas ruins, as crianças colocadas suas vidas em risco, é Van que não tem freio e porta amarradas com corda. E essa noite recebi um vídeo, olhem a situação que nossas crianças estão sofrendo na zona rural empurrando ônibus [transporte escolar] no povoado Tamanduá", denunciou o parlamentar.

O caso citado pelo vereador Anderson Pêgo é o mostrado no vídeo abaixo em que ele publicou nas ruas redes sociais.

"Quem é o pai de família que quer ver seu filho empurrando um ônibus colocando sua vista em risco? Um ônibus desse volta e passa por cima das crianças! Essa é a Timon de verdade do prefeito Luciano Leitoa? Na propaganda ele dizia que ia ser o melhor transporte escolar, o melhor tudo, está aí!”, lamentou o vereador Anderson Pêgo.