Assembleia Legislativa

quarta-feira, 17 de outubro de 2018

PCdoB e PDT: racha de verdade

Felipe Camarão e Pedro Lucas
Racha de verdade. A disputa PCdoB e PDT deve ser evidenciada no Maranhão em pouco tempo. A previsão é de que o casamento entre os dois partidos não dure até o fim do próximo ano.

O motivo é a Prefeitura de São Luís. O partido de Flávio Dino cogita o atual secretário de Educação do Estado, Felipe Camarão, como o próximo gestor da capital.

No entanto, a intenção do PDT é ter o vereador e deputado federal eleito, Pedro Lucas (PTB), na disputa pela gestão municipal. (Coluna Estado Maior, jornal O Estado)

terça-feira, 16 de outubro de 2018

Juiz do Maranhão deve prestar informações sobre publicações no Twitter

Manifestações político-partidárias em redes sociais são vedadas a magistrados
A Corregedoria Nacional de Justiça instaurou, de ofício, Pedido de Providências contra o juiz Gervásio Protasio dos Santos Júnior, 6ª Vara Cível de São Luís/MA, a fim de esclarecer fatos relacionados com manifestações político-partidárias em sua conta no Twitter, vedadas a magistrados.

A proibição é prevista na Constituição Federal, artigo 95, parágrafo único, III; na Loman, artigo 36, III, e no artigo 2º do Provimento n. 71/2018 da Corregedoria Nacional de Justiça.

Segundo a decisão do corregedor nacional de Justiça, ministro Humberto Martins, o magistrado tem 15 dias para apresentar informações a respeito dos fatos narrados na notícia. As informações são da Corregedoria Nacional de Justiça.

Prefeitura de Caxias mantém contas públicas em dia e pagamentos de servidores antecipados

O prefeito Fábio Gentil já anunciou o pagamento do funcionalismo público municipal deste mês. Como de costume, de forma antecipada, o salário estará na conta na próxima quinta-feira (18), segundo o chefe do executivo.

Ao longo dos quase 2 anos da atual gestão, Caxias vive um ciclo de prosperidade, pagando seus servidores sempre antecipadamente e dentro do mês, ao mesmo tempo em que toca várias obras com recursos próprios arrecadados por meio do pagamento dos impostos dos caxienses, mostrando a saúde das contas públicas e aquecendo o comércio local.

No Brasil, Caxias é a única cidade a pagar a folha 12 dias antes do vencimento do mês; enquanto isso, mais de 2 mil prefeituras Brasil à fora não estão conseguindo honrar com o pagamento dos servidores públicos. As informações são da prefeitura de Caxias.

O destino do deputado Eduardo Braide...

Destino. O candidato eleito para a Câmara dos Deputados, Eduardo Braide (PMN), já senta para conversar com novas legendas que poderão ser seu destino partidário.

Se o PMN não fizer a fusão com outra legenda, o partido deixará de existir porque não alcançou a cláusula de desempenho prevista na legislação eleitoral.

Como foi o segundo mais votado no Maranhão para deputado federal com quase 190 mil votos, Braide vem sendo assediado para compor quadro de muitas siglas.

Caminho. A conversa mais adiantada do deputado do PMN é com o PSL. Primeiro porque Braide deverá, até a próxima sexta-feira, 19, se posicionar sobre o segundo turno da eleição presidencial.

A tendência é que o parlamentar siga a mesma linha dos demais adversários de Flávio Dino, que é apoiar Bolsonaro.

E foi a partir dessas conversas por pedido de apoio ao presidenciável que Braide acabou por se aproximar mais do PSL e estreitou o diálogo sobre uma eventual filiação. (Coluna Estado Maior, jornal O Estado)

"Vão perder feio": Cid Gomes é vaiado no lançamento da campanha pró-Haddad no Ceará

O ex-governador do Ceará e senador eleito Cid Gomes (PDT), foi vaiado em encontro do PT
Em encontro do PT para lançamento da campanha pró-Haddad no Ceará, na noite desta segunda, 15, o senador eleito Cid Gomes (PDT), primeiro a falar, cobrou mea culpa do PT. O ex governador então foi vaiado por militantes que lotaram o auditório do Marina Park. Cid respondeu: "É por isso que vocês vão perder".

Em seguida chamou os filiados com quem ele discutia de "babacas". O governador Camilo Santana (PT) tentou colocar panos quentes depois da fala de Cid. O petista admitiu que o ex-governador tinha razão em partes de sua queixas, mas que não era hora de discutir o PT.

As informações são do jornal O Povo.

Logo após o encerramento do ato, que durou menos de 20 minutos, Cid foi vaiado novamente. Do lado de fora do auditório, foi encurralado por militantes do PT, que jogaram faixas do partido no pedetista. Aliados de Cid e do PT causaram tumulto.

O evento, no Marina Park Hotel, fazia parte das articulações de Camilo Santana, governador reeleito no Ceará, para impulsionar campanha de Fernando Haddad, candidato petista à presidência. Camilo deveria se encontrar com prefeitos, deputados, vereadores, movimentos sociais e lideranças para, além de campanha presidencial, agradecer a reeleição.

A movimentação acontece em tentativa de obter os votos que Ciro Gomes (PDT) recebeu no Estado no primeiro turno. Haddad disputa o eleitorado cearense com Jair Bolsonaro (PSL), seu adversário no segundo turno das eleições.

Logo no início do discurso, Cid já se mostrava indisposto com a situação. "Juro que não esperava que fosse eu que fosse abrir. Me colocaram numa situação constrangedora", disse ele.

segunda-feira, 15 de outubro de 2018

Os Catulé com passe livre...

Passe livre. A propósito, a família Catulé (Albuquerque), ganhou um passe livre para ter acesso ao governo estadual. Com o apoio a Weverton Rocha (PDT), Catulé e Catulé Júnior têm agora um aliado de peso na estrutura política estadual... (Coluna Caxias em Off)

Adelmo Soares defende que Paulo Marinho Jr assuma o mandato de deputado federal

Publicação de Adelmo Soares e a foto publicada por Paulo Marinho Jr com Fufuca
Se vai ter algum resultado no final até agora ninguém sabe, mas, um dos políticos da região dos Cocais influente no governo Flávio Dino onde foi secretário da Agricultura Familiar, o deputado estadual recém eleito Adelmo Soares usou uma rede social para além de insinuar a possibilidade, defender que o primeiro suplente de deputado federal e vice-prefeito de Caxias, Paulo Marinho Júnior (PP), assuma o mandato na próxima legislatura.

“Caxias, terá, não tenho dúvidas, um deputado federal que lhe represente, e junto conosco lute pelos interesses comum da Princesinha do Sertão e todo o Maranhão!”, disse Adelmo Soares.

É público e notório que os Marinho de Caxias não tem nenhuma aproximação com o governador Flávio Dino e para acontecer uma ascensão de Paulo Marinho Júnior ao mandato na Câmara dos Deputados federal vai precisar de muito diálogo e defensores influentes junto ao comunista-mor.

Paulo Marinho Júnior é o primeiro suplente de uma coligação que elegeu 5 deputados federais, entre eles o presidente estadual do seu partido, o PP, André Fufuca. As informações recebidas pelo Blog do Ludwig é de que já existe conversas nos bastidores sobre isso e extraoficialmente o nome do deputado federal reeleito André Fufuca está entre os cotados para assumir uma secretaria na gestão comunista. E para alimentar mais ainda as especulações sobre o assunto, neste final de semana foi publicado numa rede social foto de Paulo Marinho Júnior ao lado do deputado André Fufuca na casa de um amigo em comum em São Luís.

As fotos e a publicação de Adelmo Soares movimentaram os bastidores da política de Caxias neste final de semana assim como serviu par alimentar todos os tipos de especulações possíveis, coisa que político nem gosta...

Campeões de voto mostram a inutilidade do bilionário ‘fundão’ eleitoral

Grandes vitoriosos não usaram tempo de TV nem financiamento público
Acima os campeões de votos, deputados como Janaína Paschoal, Kim Kataguiri, Joyce Hasselmann e o Príncipe Luiz Philippe de Orléans e Bragança não precisaram de tempo de TV e dinheiro público do fundão.

Além de desmoralizarem as pesquisas de intenção de votos, grandes derrotadas do dia 7, as campanhas vitoriosas no primeiro turno, como a de Jair Bolsonaro (PSL) ou de Romeu Zema (Novo) em Minas Gerais e ainda de Wilson Witzel (PSC), no Rio de Janeiro, têm em comum o reduzidíssimo tempo de propaganda no horário gratuito no rádio e na TV. Eles tampouco usaram dinheiro do indecoroso Fundo Eleitoral. A informação é da Coluna Cláudio Humberto, do Diário do Poder.

Os campeões de votos não se valeram de produções milionárias para rádio e na TV. Preferiram produções até primárias, nas redes sociais.

Eleito senador com 9,3 milhões de votos, Major Olímpio (PSL-SP) vai propor a extinção Fundo Eleitoral, que chama de “fundo da vergonha”.

Para obter mais de 2 milhões de votos, a deputada Janaína Paschoal (PSL) gastou menos de R$60 mil e se valeu das redes sociais. O deputado eleito Kim Kataguiri (DEM-SP), 458 mil votos, só precisou de redes sociais. Dispensou até os R$500 mil oferecidos pelo partido.

sábado, 13 de outubro de 2018

Os ataques de Flávio Dino a Bolsonaro...

Nada bem. Não repercutiu nada bem nas redes sociais o ataque do governador Flávio Dino (PCdoB) ao presidenciável Jair Bolsonaro (PSL).

Na sequência das críticas, eleitores do ex-capitão do Exército invadiram o perfil do comunista para reprovar o comentário.

E olha que no Maranhão Fernando Haddad (PT) obteve mais votos que o adversário no 1º turno da eleição presidencial. (Coluna Estado Maior, jornal O Estado)

quinta-feira, 11 de outubro de 2018

Roberto Rocha declara apoio a Bolsonaro: "Como querer que o líder de um partido comande os destinos da nação de dentro da prisão?"

O senador Roberto Rocha (PSDB), declarou apoiou nesta quinta-feira (11), ao candidato a presidente da República, Jair Bolsonaro (PSL) por meio de uma declaração pública. "Como querer que o líder de um partido comande os destinos da nação, de dentro da prisão?", indagou Roberto Rocha.

Leia a íntegra do texto abaixo 

DECLARAÇÃO

Vem de um dos grandes pensadores da esquerda, Antonio Gramsci, a famosa frase que diz: “a crise consiste precisamente no fato de que o velho está morrendo e o novo ainda não pode nascer”.

O Brasil vive essa transição, para tempos ainda incertos. Mas a população já deu uma demonstração de que não aceita que o velho continue dominando a política.

Como querer que o líder de um partido comande os destinos da nação de dentro da prisão? Como esperar que esse partido eleja os chefes dos três poderes? Esse foi o triste legado do PT, que ainda acena com brilhantes conquistas sociais mas é incapaz de fazer uma simples autocrítica sobre os escândalos que envergonharam o país.

Nossa democracia passará o teste decisivo sobre sua solidez. Temos instituições e mecanismos para que prevaleçam todas as cláusulas jurídicas de nossa Constituição. Essa é a lição que o eleitor vem dando, ao valorizar a democracia e a alternância de poder.

Manifesto meu voto em Jair Bolsonaro, sem pedir nada em troca, mas apenas me associar à vontade geral do povo, para que brote o novo dos escombros do velho.  E que os derrotados, tanto o PT quanto o PSDB, ouçam o clamor das ruas e refaçam seus destinos.

Roberto Rocha