Assembleia Legislativa

sexta-feira, 6 de julho de 2018

Após recomendação do MP, Câmara de Timon pode ter mais de R$ 700 mil no caixa em 6 meses

Se ficar em caixa até o final do mandato do presidente da Câmara, vereador Uilma Resende a soma da verba indenizatória pode chegar aos R$ 720 mil 
Como é difícil se ter informações mais detalhadas sobre os gastos da Câmara de Vereadores de Timon o Blog do Ludwig procurou ouvir uma fonte bem posicionada que entende de finanças públicas sobre a possível economia que se pode ter após a recomendação (reveja) expedida pelo Ministério Público do Maranhão (MPMA), no dia 25 de junho ao presidente Uilma Resende sobre adequação de despesas. O Ministério Público diz que a recomendação foi, “Devido a irregularidades constatadas no pagamento de despesas relativas à aquisição de combustível e locação de veículos”. 

Entre as várias recomendações do MP à presidência da Câmara de Timon uma trata sobre os gastos efetuados com verba indenizatória que devem ser disponibilizados no Portal da Transparência da Casa. Após essas recomendações este blogueiro que já vinha fazendo isso por longo tempo resolveu consultar o Portal da Transparência na manhã desta sexta-feira (06), e pela enésima vez não conseguiu ter acesso a vários itens, entre eles: receita, despesas, folha de pagamento e diárias. 

Verba indenizatória 

Segundo um rápido levantamento rápido feito pela fonte já citada acima sobre os recursos que envolvem a verba indenizatória da Câmara de Timon teve por parte do Ministério Público a recomendação de realizar licitações para alguns gastos, mas, se caso isso ficasse em caixa até dezembro iria gerar um montante financeiro de algo em torno de R$ 720 mil. Explica-se, consta que o gasto com verba indenizatória chega a R$ 120 mil por mês e isso multiplicado por 6 meses chegaria no valor de R$ 720 mil.

A verba indenizatória nada mais é do que o ressarcimento de despesas relacionadas ao exercício de um mandato. Mas, os gastos da Câmara não se resume apenas a verba indenizatória, que fique esse registro. 

Claro e óbvio que se o Portal da Transparência da Câmara de Timon estivesse em pleno funcionamento como manda a lei e recomenda o Ministério Público esses cálculos poderia ser feito com maior riqueza de detalhes incluindo até os centavos dos recursos públicos, mas, infelizmente até o fechamento dessa matéria os itens consultados e já citados anteriormente não acessíveis e quem sabe após essa publicação alguém se atreva a dá melhores explicações.

Em tempo

Como dito antes, não se tem acesso ao Portal da Transparência e chega uma informação de que na verdade a soma da verba indenizatória ultrapassa a R$ 1 milhão até dezembro deste ano.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com