Assembleia Legislativa

domingo, 22 de janeiro de 2017

Construção Civil responde por 68,6% do desemprego no Maranhão

Construção Civil responde por 68,6% dos empregos perdidos no Maranhão em 2016, segundo dados do Caged.

O setor de Construção Civil foi o que mais contribuiu para que o Maranhão fechasse o ano de 2016 com um acumulado de 18.036 postos de trabalho fechados, pois, destes, mais 12.000, ou seja, 68,6% foram gerados pelas empresas do ramo, conforme números do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged) divulgados nesta sexta-feira (20) pelo Ministério do Trabalho e Previdência (MTE). De acordo com os dados, o Maranhão fechou, em dezembro passado, 4.747 empregos, bem abaixo do registrado no mesmo mês em 2015, quando foi registrado um saldo negativo de 7.324, porém na comparação com novembro de 2016, o crescimento foi expressivo, já que no penúltimo mês do exercício anterior foram desativados 1.748 empregos.

Pelos números da Caged, São Luís é o município onde se verifica maior índice de desemprego no Maranhão, tendo registrado 8.649 postos de trabalhos fechados no acumulado do ano e em dezembro causou cerca de 50% dos empregos perdidos no estado, com um saldo negativo de 2.114.

Os números apontam que apenas um setor, Administração Pública, teve saldo positivo em dezembro, e ainda assim com apenas três empregos preservados. Os demais tiveram os seguintes desempenhos: Extração Mineral, -51; Indústria de Transformação -358; Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP), -58; Construção Civil, -1.879; Comércio, -202; Serviços, -1.448; Agropecuária, -754. No que diz respeito ao acumulado do ano, Extração Mineral fechou com -100; Indústria de Transformação, -2.360; Serviços Industriais de Utilidade Pública (SIUP),-331; Construção Civil, -12.385; Comércio, -2.553; Serviço, -316; Administração Pública, 230; e Agropecuária, -221.

O saldo negativo de dezembro é resultado de 8.366 contratações e 13.133 demissões. Vale ressaltar, que este número é bem maior do que o registrado em novembro, quando foram fechados no Estado 1.748 postos de trabalho, por conta das 11.572 contratações e 13.320 demissões. Quanto ao acumulado de 2016, os números mostram que foram admitidas nos 12 meses, 151.551, porém 169.587 foram desligadas dos seus empregos. (Aquiles Emir)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com