Propaganda Superior

sexta-feira, 17 de maio de 2019

Agora contra ‘corte’ de Bolsonaro na Educação, Flávio Dino tirou R$ 8,4 milhões da Uema

O governador do Maranhão, Flávio Dino (PCdoB), mostrou-se um dos mais entusiasmados com os protestos de quarta-feira (15) promovidos por entidades estudantis e sindicais contra o contingenciamento de orçamento da universidades públicas brasileiras.

Nas redes sociais, o comunista exaltou “as comunidades universitárias e escolares” que “se encontraram nas ruas com outras milhares de pessoas que acreditam na Educação”.

“Democracia viva é a maior garantia de que o Brasil tem jeito”, disse, ao postar uma foto da manifestação ocorrida na Beira-Mar, em São Luís.

O governador maranhense tem-se mostrado, hoje, absolutamente contra o contingenciamento dos recursos.

Mas não pensava assim em 2017.

Naquele ano, em três canetadas, ele cancelou dotações orçamentárias da ordem de R$ 8,4 milhões da Universidade Estadual do Maranhão (Uema).

O primeiro deles cancelou dotação de R$ 2 milhões que seriam aplicados na “Promoção de Eventos Científicos, Tecnológicos e Sócio-Culturais” e foram destinados à Companhia de Saneamento Ambiental do Maranhão (Caema).

Da administração da Uema o comunista retirou mais R$ 1 milhão, que foram então destinados à construção de um prédio anexo do Tribunal de Contas do Estado do Maranhão (TCE-MA), em São Luís.

Dino retirou, ainda, R$ 5,4 milhões da “Formação de Profissionais de Nível Superior” para entregar à Procuradoria-Geral de Justiça do Estado do Maranhão (PGJ-MA).

Na ocasião, a única manifestação contrária veio de um grupo de professores que negociava reajuste salarial. As informações são do Blog do Gilberto Léda.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com