Assembleia Legislativa

segunda-feira, 24 de abril de 2017

Parada de ônibus é mais cara do que uma casa popular em Timon, denuncia vereador

O vereador Anderson Pêgo denunciou também várias obras paradas em Timon

Sessão de denúncias graves nesta segunda-feira (24) na tribuna da Câmara de Timon. E desta vez veio do vereador Anderson Pêgo (PRB) que denunciou várias obras paradas no município, que segundo ele sem nenhuma explicação. "As obras federais conveniadas com o município de Timon estão todas paradas, nós vereadores e a população estamos querendo uma resposta”, disse o parlamentar.

"O Campo do Cruzeiro está parado, os portais da cidade que foi um convênio com o Ministério do Turismo está ridículo aquilo e ninguém toma providência. A praça do Higino Cunha está por terminar...está tudo parado! A estrada ali que a Codevasf está fazendo na beiro do rio está parada”, denunciou o vereador Anderson Pêgo ao citar apenas algumas das várias obras paradas.

Até do governo do Maranhão - Para surpresa de alguns até uma obra – complexo esportivo Francisco Carlos Jansen no bairro Parque Piauí -  iniciada recentemente com recursos do governo do Maranhão entrou na lista de obras paradas e denunciadas na tribuna pelo vereador Anderson Pêgo."Me chegou a informação que o ginásio da avenida Teresina parece que também foi parada a obra. Nós precisamos de respostas, a população precisa de respostas".

Parada de ônibus mais cara do que uma casa?

Outra revelação do vereador Anderson Pêgo na manhã desta segunda-feira foi sobre o preço de uma parada de ônibus, que segundo ele custa mais caro do que uma casa popular. "Uma parada de ônibus custa quase 26 mil reais enquanto uma casa do Minha Casa, Minha Vida custa 20 mil. Uma parada de ônibus é mais caro do que uma casa?”, afirmou. E acrescentou, "... A obra está parada! Mas, aí você vai olhar a planilha a parada custa mais caro do que uma casa. São essas distorções que nós temos que ir buscar, é isso que a população quer saber... Por que está parada?".

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: ludwigalmeida@hotmail.com