quinta-feira, 16 de março de 2017

“Mudança-conceição”, diz o senador Roberto Rocha sobre o governo Flávio Dino

Roberto Rocha: "Mudança-conceição"
O senador Roberto Rocha (PSB), esteve em Caxias nesta quinta-feira (16) para participar de um evento do Banco do Nordeste onde reuniu empresários e contou com a presença de algumas lideranças política da região dos Cocais. Em entrevista ao Blog do Ludwig, o senador Roberto Rocha falou de política e sua atuação no Senado. Sobre o governo Flávio Dino o socialista aproveitou para dar uma alfinetada e disse que a mudança pregada pelo comunista é “mudança-conceição” e sua permanência ou saída do PSB, ele afirmou não ter nenhuma intenção de deixar a sigla.

Confira abaixo a entrevista na íntegra:

Blog do Ludwig - O que fez o senhor se afastar do governador Flávio Dino?

Senador Roberto Rocha - Eu defendo as mesmas ideias que defendi durante as eleições de 2014. Portanto, não me afastei do ideário que permitiu a aliança vitoriosa que elegeu o governador e o senador naquele pleito. O que você chama de afastamento eu vejo como uma fidelidade a princípios.

Está acontecendo a mudança pregada pelos comunistas no Maranhão?

Só se for a mudança-conceição, aquela que ninguém sabe, ninguém viu.

Sobre sua pré-candidatura ao governo do MA, já está confirmada?

Nem a do governador está. É extemporâneo falar em pré-candidaturas quando o cenário ainda está sendo assentado. Tem muita poeira para baixar, antes de cogitar nomes, mas tenho dito que se o PSB precisar de um soldado para ajudar no fortalecimento do partido no estado e se isso exige um candidatura própria ao governo não recusarei a missão, até em respeito ao saudoso Eduardo Campos.

E a questão partidária, o senhor tem bom trânsito tanto no PSB como no PSDB, já definiu seu futuro partidário?

Não tenho planos de mudar de partido, mas é com alegria que recebo reiterados convites para me integrar a outras agremiações.

Uma ideia que vem sendo discutida na região é a da instalação do Porto Seco de Caxias. Como ele funciona e quais o benefícios que isso pode trazer para a cidade e região?

Essa é uma ideia que acalento há anos e que tenho discutido com políticos como os ex-deputados Paulo Marinho e Rubens Pereira. Combinamos até de fazer um sobrevoo de helicóptero na área. O Brasil possui 63 portos secos em funcionamento e, pra você ter uma ideia, nosso Porto do Itaqui utiliza o Porto Seco de Anápolis como parceiro estratégico. Ou seja, ajuda a produzir riqueza em Goiás. O Porto Seco é um entreposto aduaneiro que utiliza um regime especial chamado Depósito Alfandegado Certificado – DAC, pelo qual a empresa pode exportar, com liquidação do câmbio antes do embarque das mercadorias. O Porto Seco de Caxias transformaria a cidade e a região, tal qual aconteceu em Anápolis. Especialmente no âmbito da Zona de Exportação do Maranhão, a ZEMA, que é o projeto que estamos discutindo no Senado, e que tem o potencial de mudar a dinâmica econômica do Maranhão. Ainda esta semana me reuni com o Superintendente da Receita Federal, dr. Jorge Rachid, para tratar dessa questão. As perspectivas são excelentes.

Um dos temas mais debatidos nos últimos dias é a PEC sobre a federalização do sistema de Segurança Pública que incorpora as polícias civis à Polícia Federal, unifica todas as polícias militares em uma Polícia Militar da União e ainda propõe a unificação dos corpos de bombeiros militares em um Corpo de Bombeiros Militares da União. Como o senhor avalia essa questão?

O assunto é controverso e tem defensores com fortes argumentos a favor e contra. Como o projeto está dando entrada da Comissão de Constituição e Justiça, da qual sou membro titular, esse é o momento adequado para ouvir as partes interessadas, consultar os especialistas na área, promover audiências públicas e buscar a melhor solução. Da minha parte, estou à disposição para atender em meu gabinete todas as categorias afetadas pelas mudanças propostas pela emenda constitucional.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: ludwigalmeida@hotmail.com