Propaganda Superior

Propaganda Superior

quinta-feira, 5 de março de 2020

Timon registra seis mortes em 24 horas; ‘nunca tinha visto isso’, diz delegado

Do início do ano ate 15 de fevereiro, cidade havia registrado apenas uma morte
Com apenas uma morte desde o início do ano até o dia 15 de fevereiro, a cidade de Timon (MA), vizinha a Teresina, registrou mais nove mortes desde então, sendo seis em apenas 24 horas. Os últimos casos foram registrados entre domingo (1º) e segunda-feira (2). Segundo o delegado Antônio Valente, titular de homicídios de Timon, o “fato é atípico”.

“Não é algo comum, é um fato atípico e que podemos atribuir a várias questões. Em 2019 em relação a 2018, havíamos reduzido em 35% o índice de homicídios na cidade e agora isso aconteceu. Tenho 16 anos como delegado em Timon e é um fato inédito para nós, nunca tínhamos visto uma situação de tantos óbitos em um único dia”, declarou.

Facções

Segundo ele, ainda não é possível atribuir a apenas um fator a grande quantidade de mortes em tão curto período de tempo. Uma das suspeitas é de rivalidade entre facções criminosas, mas há outras hipóteses.

“Alguns casos podem ter essa relação com facções, sabemos que facções são bancadas pelo tráfico de drogas, dizemos que esse crime é o carro chefe e desencadeia outros crimes, como homicídios. Mas pode haver acertos de contas antigos”, declarou.

Das nove mortes, o delegado deu detalhes sobre quatro. Em uma delas, um idoso foi baleado ao sair de casa por ter ouvido um barulho na rua. Outro homem foi morto esfaqueado durante uma briga com a companheira. Um adolescente foi morto e a suspeita é de que tenha sido assassinado por engano, no lugar do irmão. Um quarto caso foi de um suspeito de homicídio que estava em liberdade e foi assassinado.

“As outras mortes ainda estamos investigando e claro que estamos em alerta, temos um trabalho quanto a facções, já prendemos integrantes de uma delas, bastante atuante em todo o Maranhão e sempre procuramos dar uma resposta. A redução dos homicídios do ano passado, em Timon, atribuímos boa parte a essas prisões”, declarou. As informações são do G1 Piauí.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com