Propaganda Superior

sexta-feira, 5 de abril de 2019

Artigo do Chico Leitoa: O recado de Jackson Lago

Mesmo doente, mesmo distante, mesmo sem dar notícia, mesmo calado, mesmo apático, mesmo remoendo a angústia dos últimos acontecimentos que anteciparam sua partida, ele dava o tom e simbolizava a existência do nosso Partido. De repente, a âncora cedeu e ficamos à deriva, sem rumo, tontos e momentaneamente sem saber o que fazer. Tínhamos que tentar recompor a âncora, pois não seria possível substituí-la. A recuperação da âncora seria possível com outros materiais, e eles não podiam ter fadiga e muito menos falsa resistência. Eles teriam que ter alto ponto de fusão e capacidade de elasticidade e não podiam ter a característica do cameleão.

Manter o legado passou a ser um exercício permanente de doação e desprendimento. Depois da fase das homenagens, tudo começaria com a reorganização do Partido que ele ajudou a criar. . Partido que o levou três vezes a ser eleito Prefeito da Capital. A velha São Luis, que lhe abraçou ao longo da vida e na última eleição se deixou envolver pelas ações nefastas impostas ao velho Jackson, que dela se orgulhava  e lhe preparava uma grandiosa surpresa, pois havia assegurado mais de trezentos milhões para, nos dois últimos anos investir em viadutos, grandes avenidas, grandes intervenções no trânsito e no transporte, na modernização das escolas e das unidades de saúde, enquanto tocava o maior projeto social da América latina, o PAC rio anil, onde foi obrigado a assumir meio a meio do custo, por imposição do governo federal. Era o grande sonho de Jackson concluir o que estava programado até o final do seu primeiro mandato e continuar onde sempre esteve, nos braços da população. Tomaram-lhe o mandato e roubaram seus sonhos…

Cabe a cada um de nós, resgatar essa história. Não é justo prevalecer mentiras plantadas, e insistentemente repetidas, terem poder de macular a imagem de quem se doou para promover justiça.

Cabe aos verdadeiros amigos manter viva sua verdadeira história.

Na última vez que conversamos por telefone, foi para informa-lhe que com o meu empenho aprovamos suas contas de 2007 e 2008 no plenário da Assembléia. Jackson estava sem entusiasmo. Percebi no tom de suas abordagens, que ali se manifestava um homem que ainda sofria os efeitos das ações desencadeadas, com o uso do aparelho judicial, para cassar-lhe o mandato. E    o que é pior, tentar destruir sua honra,  trucidá-lo perante a opinião pública mundo a fora. Era a maneira de justificar o crime  anunciado. E cometido. Não bastava apenas cassar, tinha que desmoralizar, pisotear, esmagar e finalmente destruir e de preferência cremar…E tentar deixar na mente das pessoas, a imagem fruto do doutrinamento meticulosamente operacionalizado por quem, por ser blindado na terra, não têm medo dos castigos que podem vir depois.

Não vamos usar as armas que abateram Jackson, pois não as temos e se tivéssemos, não iríamos saber usar, vamos usar aquelas que nos permitem fazer prevalecer as verdades, e sobre tudo nos manter na luta que ele travou, no limite de sua capacidade de militante social e além de sua capacidade física. Sempre fiel aos seus princípios, simbolizados no PDT, e Deus, ao chamá-lo, o fez, como se estivesse eternizando sua passagem aqui na terra, em data, ( observado por alguém ) que traz uma curiosidade: 

04.04.2011, 0+4+0+4+2+0+1+1=12.  Para quem nasceu em 01.11…

O recado ficou para que o Partido, através dos verdadeiros militantes se encarreguem de levar em frente a luta travada por ele com determinação e coragem, e cada um , ao seu modo e consciência, faça sua parte. Que a bandeira de luta de cada um, seja a do Partido, enquanto vida tivermos, somando-se  a outros partidos, que por outros caminhos buscam os mesmos ideais. Assim, preservaremos seu grande legado. Assim, permaneceremos em busca de um Maranhão livre, como ele insistentemente pregava.

04 de abril de 2019, oito anos sem sua presença física , e depois de mais de  três décadas, as duas últimas eleições para a sucessão estadual não tiveram sua participação, mas uma simbologia.

A partir de seu legado, a oposição venceu novamente nas urnas, reparando um pouco da injusta cassação, tirando no voto quem o tirou no tapetão!

(Engenheiro Chico Leitoa, ex-prefeito de Timon com 35 anos de militância no PDT)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com