Assembleia Legislativa

sábado, 22 de dezembro de 2018

Quase um ano de fracasso da base de Luciano Leitoa na disputa pela Câmara de Vereadores

Sempre fracassando e sem votos suficientes, a base do prefeito Luciano Leitoa na Câmara de Timon já mudou várias vezes o candidato a presidente
Base do governo Leitoa no quarto candidato, Ivan (o 5º?) negou...
Desde que se iniciou as disputas interna pelo comando da Câmara de Timon a base do prefeito Luciano Leitoa nunca conseguiu se entender sobre um nome de consenso a começar do mês da eleição que foi antecipada para fevereiro deste ano sendo ideia dos próprios governistas.

O primeiro nome que apareceu como candidato a presidente da Câmara de Timon foi do altíssimo clero leitoísta, o vereador Jair Mayner que era uma espécie de “o candidato do prefeito Luciano Leitoa”, mas, sem muita simpatia da base do governo não conseguiu êxito para seguir em frente com seu projeto político. O vereador Chagas Cigarreiro ainda iniciou um movimento como pré-candidato a presidente tendo apoio de 4 vereadores do altíssimo clero, mas, durou poucos dias.

Quebra de acordo

Como a candidatura de maior simpatia do prefeito Luciano Leitoa à presidência da Câmara Municipal já nasceu sem sucesso, eis que surge um nome na época tido como um dos mais expertos da ala governista, o vereador Juarez Morais que quando menos o alto clero dos Leitoas esperava ele reuniu em torno de si oito vereadores. Esse grupo juntamente com o vereador Juarez Morais chegou a ser denominado de G9, que era um tido como uma espécie de “os descontentes” com o tratamento que vinham recebendo por parte do governo municipal. Também não logrou êxito, o vereador Juarez Morais que nunca teve a simpatia do prefeito Luciano Leitoa resolveu numa conversa com a alta cúpula dos Leitoas mexer na formação de sua chapa e viu nessa quebra de acordo a saída de 5 vereadores – Dr. Tuá, Kaká do Frigosá, Raimundo da Ração, Helber Guimarães e professora Cláudia Regina – que se denominaram de G5. 

Surge o G12 - Com a saída do G5 após a quebra de acordo com a mudança total da chapa por parte do vereador Juarez Morais como a cúpula leitoísta, eles na época se juntaram aos sete vereadores de oposição formando o G12 que lançaram e mantém o vereador Helber como candidato a presidente da Câmara, mas, eis que a eleição antecipada para fevereiro deste ano não aconteceu por um tal “vício no edital” questionando pelo vereador Zé Carlos Assunção e atendido pelo presidente Uilma Resende. Com isso, de lá até esta data não aconteceu a eleição da Mesa Diretora e pelo visto sem previsão.

A base do prefeito Luciano Leitoa sempre na expectativa de conseguir tirar dois vereadores do G12 resolveu no mês de outubro deste ano mudar o nome do candidato a presidente e numa reunião inesperada retiraram o vereador Juarez Morais da disputa para colocar o vereador Celso Tacoane, uma candidatura pra lá de tímida também não obteve avanços pelo fraco desempenho nas articulações.  

Pós fracasso total

Como a ala do prefeito Luciano Leitoa durante 10 meses – de fevereiro a dezembro – nunca conseguiu os votos suficientes para ganhar a eleição da Câmara de Timon, internamente eles resolveram mudar de estratégia através do anúncio oficial por parte do líder do governo Leitoa, vereador Zé Carlos Assunção – em nome do G9 – da retirada da candidatura do vereador Celso Tacoane, este nunca se pronunciou, para apoiar o nome do vereador Francisco Torres que saiu inesperadamente do G12. Mas, desde a oficialização do nome do vereador Torres como candidato todo o apoio recebido só se resume aos parlamentares da base do prefeito Luciano Leitoa, o G9.

A bomba que faltava

Com o recente lançamento da candidatura do vereador Francisco Torres tendo apoio total da base do prefeito Luciano Leitoa, eis que o blogueiro Eduardo Rêgo identifica movimentações nos bastidores da ala governista, coisa tida como normal numa disputa de Câmara e divulga em primeira mão no seu blog (reveja). Segundo o blogueiro, a base do governo Leitoa na Câmara Municipal pode mudar mais uma vez o nome do candidato a presidente, “O vereador Francisco Torres (MDB) que até pouco tempo fazia parte G12, mas, recentemente lançou sua candidatura à presidência da Câmara com o apoio da base Leitoa pode ser substituído pelo vereador governista Ivan do Saborear (PTB)”.

A bomba que faltava divulgada pelo Blog do Eduardo Rêgo causou o maior rebuliço e uma reunião urgente do vereador Francisco Torres com os parlamentares da base Leitoa com direito até a foto oficial como prova da união entre eles. Mesmo Eduardo Rêgo revelando que vereadores foram procurado pelo vereador Ivan do Saborear em busca de apoio para a disputa da Mesa Diretora, este cuidou em negar resumindo que tudo "não passa de mentira".

A eleição da Câmara que já foi parar até em delegacia de polícia após graves denúncia feitas pelos vereadores Henrique Júnior e Cláudia Regina de que foram procurados por uma mulher usando o nome de um grande empresário do Piauí (reveja), segue sem data definida pelo presidente Uilma Resende que tem seus últimos dias no Comando da Casa. Caso não seja realizada a eleição na Câmara Municipal a ex-prefeita e vereadora professora Socorro Waquim assume a presidência ainda na madrugada do dia 1º de janeiro, no caso, falta apenas 9 dias.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com