Assembleia Legislativa

quarta-feira, 20 de dezembro de 2017

Rafael Leitoa articulou contra a retirada de R$ 1,8 milhão da Comunicação do governo Dino para Timon

A postura vergonhosa de Rafael Leitoa contra Timon
Jorge Aragão - Tudo bem que o deputado estadual Rafael Leitoa (PDT) precisa mostrar serviço e agradar ao governador Flávio Dino (PCdoB), líder do seu grupo político, mas poderia ter tido mais inteligência e principalmente respeito pelos seus eleitores de Timon, na votação Orçamento do Governo do Maranhão para 2018.

Durante a votação do Orçamento, algumas emendas de parlamentares foram apreciadas pelo Plenário. Em uma dessas emendas, de autoria do deputado Eduardo Braide (PMN), a sugestão do parlamentar seria retirar apenas R$ 1,8 milhão da Secretaria de Comunicação (que receberá R$ 62 milhões) e relocar para a Secretaria de Segurança, no intuito de construir uma Unidade de Segurança Comunitária.

Timon possui basicamente dois representantes diretos na Assembleia – Alexandre Almeida e Rafael Leitoa (representante dos Leitoa), ambos moradores da cidade – e um indireto, Edilázio Júnior (representante dos Waquim).

Só que surpreendeu a todos a postura vergonhosa do deputado Rafael Leitoa, que decidiu encaminhar, como líder do Bloco Unidos pelo Maranhão, pela rejeição da emenda. Isso mesmo, um dos poucos representantes de Timon, pediu para que seus colegas votassem contra a relocação da verba que beneficiaria a população da sua cidade e de onde conseguiu obter os votos para chegar ao parlamento maranhense.

O deputado Alexandre Almeida lamentou o posicionamento do colega parlamentar. “Gostaria de não estar aqui para ouvir o que o colega agora há pouco falou. Timon hoje na Central de Flagrantes só perde para a Central de Flagrantes de São Luís, aquela da REFESA. Vossa Excelência votou contra um milhão e oitocentos mil aqui no orçamento que iria garantir uma Unidade de Segurança Comunitária para Timon”, afirmou.

Com a postura vergonhosa e estranha de Rafael Leitoa, coube a Alexandre Almeida, Edilázio Júnior e Eduardo Braide tentarem convencer o Plenário da importância da Unidade de Segurança Comunitária em Timon, afinal a cidade, pela proximidade com a capital Teresina, tem tido altos índices de violência. Entretanto, prevaleceu a vontade de Rafael Leitoa e quem perdeu foi Timon.

Bem que Rafael Leitoa poderia ter imitado o colega Marco Aurélio, que, apesar de ser do mesmo partido do governador, não votou contra uma outra emenda de Eduardo Braide, que beneficiária a sua cidade de origem, no caso Imperatriz. Braide queria retirar R$ 2,5 milhões da Comunicação e levar para a Saúde, mais precisamente para o Hospital de Imperatriz.

O Plenário atendeu o Governo Flávio Dino e rejeitou a emenda, deixando o orçamento da Comunicação intocável, mas sem o apoio do deputado Marco Aurélio.

Que fique a lição para o deputado Rafael Leitoa, pois o papel feito hoje foi vergonhoso e prejudicial para a cidade e a população de Timon.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com