Assembleia Legislativa

sábado, 19 de agosto de 2017

Sebastião Madeira quer o PSDB longe do palanque de Flávio Dino em 2018

Madeira avisa que o PSDB poderá mesmo romper com Flávio Dino e seguir rumo próprio
O aviso dado pelo ex-prefeito de Imperatriz, Sebastião Madeira, de que o PSDB não fará o papel “de paspalhão no palanque do governador Flávio Dino” dá consistência à tendência, que ganha força nos bastidores, de que os tucanos estão caminhando para romper a aliança com a aliança liderada pelo (PCdoB), isolar o atual presidente, o vice-governador Carlos Brandão, e entrar na corrida eleitoral com candidatos próprios ao Governo do Estado e às duas vagas no Senado.

Madeira vem mantendo uma queda de braço com Brandão pelo controle do partido, e já teria obtido na direção nacional, onde tem força e prestígio, sinal verde para bombardear a aliança do PSDB com o PCdoB no Maranhão. Animado pelo crescimento do partido nas eleições municipais, tendo saído das urnas com 23 prefeitos – antes tinha apenas sete -, Brandão tem tentado convencer a cúpula nacional do partido de que no estado o melhor caminho é manter a aliança com o governador Flávio Dino. Só que nacionalmente o PSDB tem empreendido uma “cruzada” para varrer a esquerda, em especial o PT e o PCdoB, do mapa político, e nesse contexto não faz sentido manter o partido como linha auxiliar do PCdoB, ainda que tendo o posto de vice-governador.

Brandão argumenta que se o partido confirmar a aliança, ele poderá continuar vice-governador, e se Flávio Dino sair das urnas reeleito, o seu vice, no caso ele próprio, assumirá o Governo em 2022, já que a tendência natural será o governador se desincompatibilizar para disputar uma vaga no Senado ou outro cargo de relevância política. Madeira mina essa argumentação insistindo na tecla de que o PSDB está se perdendo e saindo do seu eixo nacional. Ele acha que o partido deve se desvincular da aliança liderada pela esquerda e partir para um projeto próprio ou apara uma aliança com o seu atual aliado nacional, o PMDB.

Dentro do PSDB maranhense, a maioria das lideranças abraça a tese do ex-prefeito de Imperatriz e do Instituto Teotônio Vilela, o braço ideológico dos tucanos. E ao subir o tom de voz, como fez em entrevista à Rádio Difusora, Sebastião Madeira sinaliza que se movimenta com o aval dos chefes nacionais do tucanato. (Coluna Repórter Tempo)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com