Assembleia Legislativa

terça-feira, 2 de maio de 2017

Com a saída de Zé Reinaldo o senador Roberto Rocha fica livre para comandar o PSB e se lançar ao governo

Com saída de José Reinaldo, Roberto Rocha fica livre para comandar o PSB e se lançar ao Governo

Zé saiu e Rocha está livre
Repórter Tempo - A saída do ex-governador José Reinaldo Tavares do PSB, rompendo com a legenda recriada pelo célebre governador pernambucano e ícone da esquerda Miguel Arraes, o livra de uma situação incômoda e abre caminho para o senador Roberto Rocha arquivar o projeto de se reconverter ao tucanismo, ganhar de vez o comando do partido e se lançar candidato a governador sem um contrapeso importante para contrariar o seu projeto. Assim, José Reinaldo procura outra seara para disputar uma cadeira de senador e Roberto Rocha vai tentar viabilizar seu sonho político de morar quatro anos no Palácio dos Leões, interrompendo assim, para o bem dos dois, mais de uma década de incômodas e traumáticas interferências um na vida política do outro.

Se não entrar em conflito com a cúpula do PSB, o senador Roberto Rocha terá caminho livre para assumir, finalmente, o comando do partido no Maranhão sem ter de dividi-lo com ninguém, evitando assim embaraços que possam criar problemas ao seu projeto. Desde que desembarcaram no PSB – José Reinaldo saindo do PTB e Roberto Rocha rompido com o PSDB -, os dois nunca se entenderam. Foram anos de escaramuças, conflitos, dribles e mal-estar, com José Reinaldo controlando o Diretório estadual e Roberto Rocha comandando o Diretório de São Luís. Agora, o permanente “estado de impasse” dentro do PSB chega ao fim, podendo o partido, mesmo desfalcado de um quadro muito importante, definir um projeto claro, com Roberto Rocha candidato a governador, podendo ainda lançar até dois candidatos a senador.

Em tempo: se o PSB ficar inteiramente sob o controle do senador Roberto Rocha, é quase certo que perderá seus três deputados estaduais: Bira do Pindaré, Rogério Cafeteira e Edson Araújo. Deve perder também políticos importantes, como o secretário chefe da Casa Civil, Marcelo Tavares.  A deputada federal Luana Alves provavelmente permanecerá no partido como aliada de Roberto Rocha. A conferir.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: ludwigalmeida@hotmail.com