Assembleia Legislativa

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Secretários da gestão Dino dizem que qualquer demanda para Caxias depende de Humberto Coutinho, afirma Fábio Gentil

Secretários do governo Flávio Dino revelaram que qualquer deliberação para Caxias depende de determinação do deputado Humberto Coutinho, afirma o prefeito Fábio Gentil.

Caio Hostilio - O atual prefeito de Caxias, Fábio Gentil, concedeu uma entrevista exclusiva ao blog Caio Hostilio, hoje (25), onde falou da situação financeira, dos problemas encontrados na saúde, na educação, na infreaestrutura, no sumiço de documentos e processos da prefeitura, além do desaparecimento de todos os equipamentos de informática. Gentil falou ainda das auditorias e da sua luta por recursos que foram diminuídos após sua posse e da forma espúria para inviabilizar sua gestão. Fábio Gentil concedeu essa entrevista na porta da SES, onde estava lutando para reaver os recursos cortados, que são de grande importância para viabilizar a volta do funcionamento da UPA e o Hospital Geral de Caxias.

Qual a situação da Prefeitura de Caxias junto a Secretária de Saúde do Estado?

Fábio Gentil: Primeiramente quero dizer que estive com dois secretários do governo do Estado e ambos me afirmaram que qualquer deliberação para o município de Caxias vai depender da determinação do deputado estadual e presidente da Assembléia Legislativa Humberto Coutinho. É impressionante que só agora o município se encontra inadimplente, pois até o dia 31 de dezembro de 2016, Caxias estava adimplente. O que chama a atenção é que a inadimplência de agora é decorrente de um convenio de 2009, ainda na gestão do então Humberto Coutinho. Estou aqui na SES para resgatar os valores diminuídos do repasse da saúde de Caxias, que perdeu R$ 2 milhões mensal, sendo R$ 1,3 milhões destinados para Maternidade Carmosina Coutinho e R$ 600 mil para o funcionamento da UPA, que tiveram todos os seus funcionários demitidos no dia 28 de dezembro de 2016.

E qual é a situação dessas duas unidades hospitalares atualmente?

Fábio Gentil: Vale ressaltar que a UPA tem como princípio a entrada do enfermo, que diminui os custos com a saúde pública. Essa unidade está precisando urgentemente de uma reforma, visto que ficou completamente deteriorada e sem seus equipamentos… Simplesmente sumiram. Por outro lado, o Hospital Geral, que deveria está atendendo a urgência e emergência, está sucateado e seus equipamentos também sumiram. A Maternidade Carmosina Coutinho perdeu sua referência, pois tem como obrigação atender todos os municípios da região, principalmente em partos complicados e de alto risco. Os recursos foram cortados. Volto a dizer que o hospital geral está destruído e que o Unicor foi inaugurado e nunca funcionou um dia sequer.  

Como está a situação financeira da Prefeitura de Caxias?

Fábio Gentil: Péssima!!! A ex-gestão deixou de pagar a conta de luz do município desde que perdeu o pleito em outubro de 2016 e a conta chega ao valor de R$ 1,8 milhão. A prefeitura está devendo R$ 3 milhões de empréstimos consignados, haja vista que o ex-gestor deixou de repassar os descontos em folha dos servidores referentes aos empréstimos consignados aos bancos credores. Deixou uma dívida de R$ 10 milhões com os fornecedores, isso em todas as áreas, além de ter emitido no dia 31 de dezembro de 2016 R$ 3 milhões em cheques.

Qual a situação física das escolas municipais?

Fábio Gentil: As escolas da sede estão num estado aceitável, mas as da Zona Rural estão todas num estado precário. Preciso reformá-las urgentemente.

Como foi encontrada a infraestrutura da cidade?

Fábio Gentil: Um caos!!! Encontrei a cidade tomada pelo lixo, sem o serviço de limpeza funcionando, cujo contrato eu tive que suspender, pois a COOPEMAR está sendo investigada pela Polícia Federal. As ruas estão esburacadas e sem saneamento.

O que sua gestão tem para se diferenciar da gestão anterior?

Fábio Gentil: A transparência, a vontade de recuperar os problemas deixados e valorização do funcionário público. Tivemos que demitir mais de 1.500 funcionários fantasmas.

Qual é a maior dificuldade que está ocorrendo?

Fábio Gentil: A documentação como um todo. Sumiram com todos os processos e todos os equipamentos de informática. 90% dos veículos estão parados por falta de manutenção. Todos os veículos da educação não estão funcionando, prejudicando, com isso, a visita as escolas. Na saúde, por exemplo, ambulâncias estão paradas, pois os motores podem fundir por falta de troca de óleo. Nunca trocaram.

Sua gestão vem buscando parceria com o governo federal?

Fábio Gentil: Sim. Estamos buscando totalmente essas parcerias com o governo federal, isso em todas as áreas. Também buscando apoio dos deputados federais e senadores, que vem dando uma sobrevida para minha gestão. Os deputados federais Luana Alves, Cleber Verde e André Fufuca já destinaram emendas para Caxias e o deputado estadual Sousa Neto também destinou emendas para o município.

A gestão Fábio Gentil está sofrendo alguma represália por ter vencido a eleição?

Fábio Gentil: Primeiramente quero dizer que honrei com o pagamento dos salários de todos os servidores públicos do município de Caxias no dia 20 de janeiro. Por outro lado, o município diante das dificuldades e corte dos recursos, principalmente os da saúde, estamos sem dinheiro para comprar medicamentos e efetuar outras ações governamentais. Meus opositores querem minha gestão inviável e eles estão fazendo de tudo para inviabilizá-la e, assim, querer mostrar aos caxienses que eles eram melhores. Mas venceremos todos os empecilhos que eles possam criar.

Sua gestão fez auditorias?

Fábio Gentil: Sim. Auditoria pela previdência e auditoria na previdência municipal, onde foi encontrado um rombo de R$ 50 milhões. Com certeza o enganado aí é o servidor público, que paga a sua previdência e não é recolhida.

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com