Assembleia Legislativa

terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Escândalo do “Aluguel Camarada”: comunistas maranhenses na defensiva

Na defensiva. O Governo Flávio Dino (PCdoB) completou exatos dois anos no início de janeiro deste ano. E durante a maior parte desse período o chefe do Executivo ficou na defensiva, diante de graves denúncias levantadas por veículos de comunicação e por parlamentares de oposição. Exemplo mais recente é o escândalo da Funac, que ganhou repercussão nacional. Mesmo de férias, Dino precisou fazer-se de vítima, para tentar amenizar a situação.

Sem convencer. Nenhuma das três versões apresentadas pelo governador Flávio Dino para justificar o pagamento de R$ 172 mil por uma casa, sem utilização pelo governo, foi levada a sério. Ficou claro nas versões em notas oficiais do governo que o objetivo era apenas tentar confundir para sair da sinuca de bico que a revelação do aluguel lhe colocou. O problema é que não convence ninguém a história de que os estudos da Funac confirmaram ser a Aurora o melhor local para implantar a nova unidade. Os moradores do bairro, certamente, discordam com todas as suas forças.

Emudeceu. Lugar-tenente do governador, o bisecretário de Articulação e de Comunicação, Márcio Jerry, parece que resolveu dar um tempo, diante do escândalo do aluguel camarada. Desde sexta-feira, Jerry, sempre ativo nas redes sociais, decidiu silenciar, com o argumento de que estava passando o restante das férias em Colinas. O bisecretário foi o autor das três versões do governo para o início do pagamento do aluguel de R$ 9,5 mil mensais ao camarada Jean Carlos Oliveira.

(Coluna Estado Maior, jornal O Estado)

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: ludwigalmeida@hotmail.com