Assembleia Legislativa

segunda-feira, 10 de outubro de 2016

Deputado diz que prefeitos eleitos pelo PC do B em sua região é mérito do Palácio dos Leões e não do partido

Josimar de Maranhãozinho acusa polícias de perseguir candidatos aliados nas eleições.

Deputado diz o Palácio usou “força bruta”
para eleger comunistas
O deputado Josimar de Maranhãozinho (PR) acusou, na sessão desta segunda-feira (10), as Polícias Militar e Civil “de perseguir de forma arbitrária” seus candidatos nas eleições municipais. Ele repercutiu o resultado das eleições e minimizou as declarações de colegas de plenário, dando conta que o PCdoB, o partido do governador Flávio Dino, elegeu 46 prefeitos.

“Acho que é um direito do governo escolher o tipo de política que pretende fazer no nosso Estado, mesmo que venha contrariar o começo da sua proposta governamental para a nossa população maranhense. Eu posso dizer que na minha região tive o PCdoB como adversário em todos os municípios, mas não me reclamo por isso, pois se não fosse o PCdoB, se não fosse o partido do governo, seria um colega da Assembleia, seria um deputado, uma deputada, porque nas eleições municipais temos vários candidatos em cada município. E eu escolho um lado e o meu colega escolhe outro”, afirmou.

De acordo com Josimar, “os méritos lá na minha região, onde o PCdoB elegeu os seus prefeitos, não é do partido e, sim, do Palácio dos Leões, e, sim, da máquina administrativa, porque lá foi usada a máquina administrativa; lá não só foi usada a máquina, como foi usado de força bruta”. Ele citou um exemplo: um candidato em Centro Novo foi preso pela Polícia Militar e pela Polícia Civil, véspera da eleição, porque estava com R$ 400,00 no bolso e o seu material de campanha, sem estabelecer a fiança, o que só foi feito no sábado, quando não tinha mais agência de banco aberta.

“Em Centro Novo realmente foi usada a força policial para inibir todo o nosso grupo e deixar bem claro que lá a Polícia estava do lado da oposição, estava apoiando o candidato contra o nosso partido. Em Maracaçumé, também não foi diferente, a única diferença é que o candidato que foi perseguido, que era do meu partido, foi o mesmo que votou no governador Flávio Dino. E lá o prefeito, junto com seu secretário, andava em comboio com as viaturas militares e civis”, assegurou.

Josimar citou outro episódio. “Como se não bastasse, tivemos acidente em Candido Mendes. O nosso candidato que é empresário, Facinho, dono de posto de combustível em Cândido Mendes, dono de posto de combustível em Godofredo Viana, onde ele atende o cartão corporativo da Polícia Militar e da Polícia Civil, mas pela internet não estar funcionando em um determinado dia, ele teve o seu bombeiro e o seu escritório invadido pelo delegado. Então foram detidas duas pessoas na delegacia, porque a internet não estava passando o cartão da Polícia Civil. E até hoje esse nosso candidato vive passando por perseguições”, alegou.

O deputado do PR pediu providências por parte do governador para investigar os episódios. “Se é da sua consciência, se deu tanto poder para a Polícia Militar fazer o que está fazendo na nossa região, que tire esse poder. Se não é de conhecimento, que tome as providências, pois nós temos provas, temos gravações desse candidato em Cândido Mendes, coagindo e invadindo o escritório do posto de combustível do Facinho, o qual não tinha mandado de busca, mas não tinha mandado de prisão”, garantiu. 

Nenhum comentário:

Postar um comentário

Os comentários não representam a opinião deste blog. Os comentários anônimos não serão liberados. Envie sugestões e informações para: blogdoludwigalmeida@gmail.com